segunda-feira , abril 15 2024

Fórum Estadual Conservação do Solo e da Água destaca a necessidade de financiamentos para correção de solo

Produtor associado da Cotrijal Markus Schmiedt aconselhou: sigam seus agrônomos

Produtor rural reforça a importância do acompanhamento técnico

O cenário atual do Rio Grande do Sul ainda é de muitos desafios básicos a serem resolvidos quando o assunto é solo. Pensando nisso, o 8º Fórum Estadual Conservação do Solo e da Água, realizado na tarde de terça-feira, 5 de março, no auditório central da Expodireto, discutiu a importância do manejo adequado do solo para o aumento da produtividade.

No painel “Dinâmica da fertilidade em solos produtivos e resilientes”, o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Tales Tiecher, destacou alguns problemas no solo no Estado, como a acidez e o deficit de calcário.

De acordo com a sua apresentação, 40% das áreas do RS possuem problemas básicos e graves de fertilidade do solo, alta acidez e baixa produtividade e 73% das áreas possuem teor de fósforo abaixo do adequado. Para Tiecher, a peça chave é a análise de solo, apesar da pouca adesão que tem recebido pelos produtores, especialmente pelo custo elevado.

“Precisamos de uma força tarefa que envolve agentes de pesquisa e de extensão, inclusive de financiamento, porque a correção do solo tem um custo muito alto para fazer numa safra só. Além disso, temos que repensar como fomentar a utilização de corretivos e facilitar que o agricultor utilize e colha os benefícios, pois representa mais produto, mais produção sendo gerada no país, mais imposto e mais riqueza”, explica o professor.

Importância do acompanhamento técnico

Para alcançar uma maior produtividade, é fundamental atentar para a fitossanidade, os processos/máquinas, a genética e a fertilidade do solo. Esse foi um dos pontos abordados no painel “Manejo para altas produtividades”, apresentado pelo engenheiro agrônomo da Cotrijal Robinson Barboza, que contou com a participação do produtor rural associado da Cotrijal Markus Schmiedt.

Barboza também salientou que linhas de financiamento com juros acessíveis para o produtor rural são essenciais para a viabilidade do aumento da correção do solo e, consequentemente, da produtividade nas safras. Na sua apresentação, ele mostrou exemplos de análises de solo de produtores atendidos durante a consultoria técnica.

Um deles é o produtor rural Markus Schmiedt. Após 20 anos, o produtor destaca que, apesar do custo elevado e do longo período para a implantação, houve aumento de produtividade após a correção de solo e o acompanhamento técnico. “Se não tivéssemos esse aporte técnico nós estaríamos fazendo o que se fazia no tempo que precisava virar a terra toda, como há 20 anos. O importante é seguir a recomendação técnica. Sigam os seus agrônomos!”, aconselhou Schmiedt.

Por Cleusa Jung | Para Assessoria de Imprensa Expodireto Cotrijal

Verifique também

Viralizou em Cruz Alta vídeo de Brigadianos agredindo homem

No início da tarde desta terça-feira (09), viralizou nas redes sociais de Cruz Alta dois …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *